15 de outubro de 2013

Cria no apê

Apesar de morarmos “nas alturas”, nosso apartamento tem horas que mais parece uma casa com quintal (vontade dos moradores em ter um quintal, não falta).

Por aqui aparecem joaninhas, lagartixas, morcegos, beija-flores... A campeã de visitas é a Maria Fedida (nezara viridula). Tão a vontade se sente esta visitante que vira e mexe faz um ninho em algum canto.

O local escolhido desta vez foi a janela da varanda.
Acompanhamos o nascimento da “ninhada” de dentro da sala.
Primeiro vieram os ovinhos colocados bem juntinhos (que não fotografei): a Maria Fedida botou todos e saiu voando.
Eles ficaram lá, bem grudados e imóveis.
Depois de algum tempo as filhotinhas saíram dos ovos e ficaram por uns dias pertinho deles:



De repente, de um dia para o outro (mesmo!) elas mudaram de cor, cresceram e saíram pelo mundo:



Dá para ver a “pele” antiga transparente aí em cima, à esquerda  da foto?
Mudança a olhos vistos: uma metamorfose incompleta (ou simples, que acontece quando a larva ou ninfa já se parece com o adulto).

E nós acompanhando tudo, de camarote.
Como não é todo dia que dá para acompanhar um bicho dando cria por aqui, o interesse foi grande. E filhotes recém nascidos são sempre fofos – até mesmo os de Maria Fedida.