1 de dezembro de 2011

Respiro

Indo para a escola hoje, inesperadamente, a programação da manhã mudou.
Algumas reclamações, um certo cansaço das crianças (e meu) e um dia bonito lá fora.

-- Então vamos respirar? – propus.

Eles não entenderam.
Acharam que “respirar” era a minha orientação de sempre para os momentos de dor, cansaço, impaciência, discussões. “Respirem fundo!”, costumo dizer.

-- Ah, nãââo...!
E eu:
-- Não. Não é para respirar aqui, dentro do carro. Vamos respirar em outro lugar?

Na hora os 2 filhotes propuseram irmos ao mesmo lugar que eu já estava pensando.
E fomos.



Árvores, areia, balanço... Tomaram o lanche (da escola) em cima da casinha de madeira. Brincaram a manhã toda e ainda vimos uma chuva de sementes levadas pelo vento. Trouxemos várias delas para casa.

Respiramos.