19 de agosto de 2013

Ratatouille




Houve uma época em que eu me achava uma “ótema” cozinheira.
Até que tomei consciência de que no máximo eu levo jeito – falta muito para eu ser mesmo uma boooa cozinheira.

Cresci vendo meu pai, meu tio e minha avó cozinhando, cada um com seu estilo.
Meu pai e meu tio sempre adaptando, improvisando o que achavam na cozinha e transformando tudo em comida boa demais. Um, fã de comida caseira, massa feita em casa, molho de tomate de verdade. O outro com um pé numa cozinha mais requintada, com ingredientes mais exóticos.
Minha avó sempre seguindo as receitas ao pé da letra. Assídua espectadora de programas culinários, anotando tudo em vários cadernos. Também sempre fez comida boa.

Eu, por natureza, sigo a linha adaptativa/intuitiva do meu pai e do meu tio. Nem sempre com bons resultados, é verdade, mas fazer o que... seguir uma receita sem interferir em nada é praticamente impossível pra mim (isso quando sigo receita...). Aumento quantidades, troco ingredientes, tiro uns, coloco outros e assim vai.

Depois de uma fase bem desestimulada na cozinha, volto a ter vontade de cozinhar com gosto. A vontade aumenta quando visito blogs inspiradores, com comidinhas idem.

E foi assim que neste finde, seguindo esta receita que é muito a minha cara (uma não-receita!), do blog Pimenta no Reino, fiz esta (ou este?) ratatouille.

Consegui até usar os mesmos legumes prospostos na receita (oooh...), mas na minha versão (ha!) temperei com manjericão e tomilho frescos da minúscula varanda + pedaços de alho, sal e pimenta branca moída na hora.

Tão bonita ela ficou.
Tão orgulhosa eu fiquei...


E o melhor: deu certo! :o)))



...

E falando em inspiração gastronômica, uma receita minha: Penne com Shimeji.
Passarim criando na cozinha. ;o)