4 de julho de 2013

Saia que roda




Quando eu era criança adorava saias e vestidos longos.
Minha avó fazia vestidos para as netas no Natal e em casamentos e eu me lembro de frisar que queria que o meu vestido fosse longo.

Tenho uma imagem minha em Super 8 – aquele filminho caseiro do século passado – em que apareço rodando, rodando minha saia longa e rodada ao lado da árvore de Natal.

Saia longa e rodada para mim tem um mistério, uma beleza de passado, algo meio ancestral. Dá uma sensação de liberdade, parece que pode me fazer voar.

Não tenho usado saias rodadas, mas de vez em quando desenho meninas assim – acho que é para usá-las ainda que seja só na imaginação.